Quais as vantagens de um sistema de gestão integrada?

Estudo aponta os benefícios dos softwares de gestão  para Terceiro Setor; No entanto, implantação do ERP  deve ser orientada de acordo com objetivos estratégicos da entidade


Por Mariana do Amaral Antunes


Hoje fundamentais para entidades do Terceiro Setor, os Sistemas de Gestão Integrada, ou sistemas ERP (Enterprise Resource Planning) são softwares que têm como objetivo principal unir e disponibilizar informações de forma consistente para toda a instituição, integrando o gerenciamento de processos administrativos, contábeis e de outros setores da organização.

E o que ganham as fundações, ONGs, associações e Oscips que resolvem implementar um sistema de gestão de suas rotinas? Vale a pena o investimento?

Para um estudo sobre o impacto organizacional dos softwares de gestão para o Terceiro Setor, disponível na Red Cubana de La Ciencia (ver íntegra), a resposta é sim, desde que a implementação seja orientada de acordo com os objetivos estratégicos da entidade. É importante fazer com que o sistema esteja em conformidade com as necessidades e perspectivas de desenvolvimento da organização, já que a simples aquisição de um ERP por si só não garante vantagens competitivas.

No entanto, se o processo for feito de forma integrada, há inúmeras vantagens. “Os softwares de gestão integrada representam uma importante fonte de informação para a gestão empresarial do Terceiro Setor, pois são uma  opção tecnológica para a automação e informatização das rotinas,  permitindo a integração entre as unidades organizacionais através de um banco de dados integrados”.

Para tanto, é necessário que o sistema englobe  diferentes módulos de forma conjunta, como gestão administrativa, contábil, de projetos, arquivo virtual, protocolos, patrimônio, licitações, acadêmico, atendimento, compras, recursos humanos, entre outros que atendam às necessidades da instituição.

Entre os benefícios apresentados pelo estudo, estão:

- Eliminação da manutenção de múltiplos sistemas;
- Padronização de procedimentos;
- Redução de custos de treinamento;
- Interação com um único fornecedor.
- Redução do retrabalho e inconsistências;
- Redução da mão-de-obra relacionada a
processos de integração de dados;
- Maior controle sobre a operação da empresa;
- Eliminação de interfaces entre sistemas isolados;
- Melhoria na qualidade da informação;
- Contribuição para a gestão integrada;
- Otimização global dos processos da entidade;
- Redução de custos de informática;
- Foco na atividade principal da empresa;
- Padronização de informações e conceitos;
- Eliminação de discrepâncias entre informações de diferentes departamentos;
- Melhoria na qualidade da informação;
- Acesso a informações para toda a instituição.

Twitter Digg Delicious Stumbleupon Technorati Facebook Email

Esse artigo ainda não tem comentários. Seja o primeiro a comentar.

Comente